06 / 04 / 2015 - 12h31
Levantamento estima que o Piauí tenha mais de 900 mil carentes
Um estudo que revela o Índice de Carência Humana estimou um total de 948.562 carentes no Piauí no ano de 2014. O levantamento é do economista e geógrafo François E. J. de Bremaeker e foi divulgado este mês no site Observatório de Informações Municipais.
 
O cálculo da estimativa da população que deveria requerer cuidados especiais foi efetuado tomando por base a evolução dos Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) de 2000 e 2010 para cada Município. A diferença para valor ideal do IDH, que é 1, é considerado o Índice de Carência Humana (ICH).
 
O município piauiense com pior ICH é Vera Mendes, a 386 km de Teresina. Lá existiam 3.023 habitantes em 2014, sendo 1.327 em situação de carência. O índice de 0,5610 deu ao município o 24º lugar no ranking dos 100 piores Índices de Desenvolvimento Humano do Brasil.
 
Outros 12 municípios também estão na lista: Assunção do Piauí, Cocal, Tamboril do Piauí, Caxingó, São João da Fronteira, Jaicós, Lagoa do Barro do Piauí, Betânia do Piauí, São Francisco de Assis do Piauí, Joca Marques, Joaquim Pires e São João do Arraial.
 
De acordo com a estimativa, Teresina possuía a maior quantidade de carentes do Estado, um total de 165.262 no ano passado. A cidade ocupa a 22ª colocação entre os 120 municípios com mais de 50 mil pessoas carentes. No entanto, se comparada à quantidade de habitantes, o ICH da capital é de 0,1966, o menor do Piauí.